Início » Verbos: o que é, como conjugar e evitar erros
Verbos

Verbos: o que é, como conjugar e evitar erros

Nesse post vamos falar sobre o que são verbos, como conjugá-los e evitar erros. Além disso, é um dos temas mais importantes na língua portuguesa. Portanto, aprender sobre verbos é essencial tanto para as provas quanto para o trabalho e para a vida. Desse modo, com esse post você aprender de uma vez por todas como conjugar verbos de um modo fácil e rápido.

Assim como tudo na vida, para aprender sobre verbos precisa de estudo. Desse modo, seguindo nossas dicas e estudando sempre a língua portuguesa, você irá conjugar verbos mais rápido do que imagina. E assim, nunca mais terá dificuldades no assunto. Está preparado para se tornar uma máquina de conjugar verbos?

Quando uma pessoa conjuga um verbo, ela está alterando as desinências da palavra para encontrar as suas variações. Essas podem ocorrer em número, tempo, modo e pessoa. E o principal objetivo da conjugação de verbos é tornar a fala ou o texto coerente. Mas será que só com essas informações já dá para começar a conjugar?

A resposta é não. Ademais, alguns verbos são denominados de irregulares, e esses são mais fáceis das pessoas se confundirem e conjugarem de uma maneira errada. Bem como, há algumas conjugações que causam muita dificuldade já que não conversamos mais como antigamente, na 2.ª pessoa do singular (tu) e do plural (vós). Elas podem gerar uma estranheza no início, mas com o tempo você estará conjugando igual o Flash.

O que é verbo e como conjugar?

O verbo é uma palavra que exprime uma ação realizada em determinado período no tempo. São exemplos de verbos: correr, dançar, comer e dormir. Além disso, o verbo também pode se referir a estado ou fenômeno, como também outros estados e tipos de movimentação. No entanto, o verbo pode ser flexionado, então a partir de uma palavra, muitas outras podem surgir.

Ademais, todos nós sabemos como a língua portuguesa é rica, e para muitos estrangeiros, é considerada complicada. Isso não é à toa. O nosso idioma possui em média onze mil verbos, e cada um deles pode ser dividido em três subgrupos. Esses subgrupos são o que damos o nome de conjugação. Portanto, ao conjugar um verbo, você está destrinchando-o, apresentando todas as formas que ele pode estar em número, pessoa tempos, vozes e modos.

Na língua portuguesa há três tipos de conjugação:

  • A primeira conjugação incluí os verbos que terminam em -ar, como falar, digitar, amar, espiar, garimpar, entre outros;
  • Já a segunda conjugação é integrada por verbos que terminam em -er, como beber, ler, fazer, escrever, comer, viver, entre outros;
  • os verbos da terceira conjugação possuem terminação em -ir, como sorrir, partir, fugir, rir, conseguir, pedir, entre outros.

Além disso, é possível flexionar os verbos em pessoa (1.º, 2.º e 3.º), em número (singular e plural), em modo (indicativo, subjuntivo e imperativo). Bem como, em tempo (presente, pretérito e futuro), e em voz (ativa, passiva e reflexiva).

Veja 4 dicas sobre como evitar erros

1 – Veja a origem do verbo

Há palavras conhecidas como “verbos primitivos”. Em suma, elas são palavras originais que podem criar outros verbos, chamados de derivados. Portanto, muitas terminações condizem com a estrutura desse tipo de verbo primitivo. Ao identificar verbos primitivos, poderá ser muito mais fácil de realizar conjugações.

Por exemplo, você já pensou na origem dos verbos terminados em -or.? Eles vêm do “pôr”. Pense bem, vamos dar alguns exemplos de verbos com esse final: supor, dispor, repor, propor, compor, sobrepor, entre outros.

2 – “Mim” não conjuga verbo

“Mim” não conjuga verbo. Grave essa frase e a guarde para toda a vida. Isso irá evitar muitos erros feios de português. Ademais, é muito comum ver pessoas que colocam o “mim” antes do verbo. Ex: “o que tem para mim comer hoje?”, “me diga as tarefas que a professora passou para mim fazer em casa”. É de doer o ouvido, não é mesmo?

Usar o “mim” antes do verbo é uma quebra das regras da gramática, pois se você deseja colocar um sujeito na frase, deve usar um pronome pessoal do caso reto. Portanto, troque o “mim” por “eu” antes dos verbos. Ex: “o que tem para eu comer hoje?”, “me diga as tarefas que a professora passou para eu fazer em casa”.

3 – Já ouviu falar nos verbos defectivos?

Às vezes conjugamos alguns verbos erradamente por não saber que eles possuem defeito e que as conjugações para eles na verdade não existem. A gramática considera esses verbos como se possuíssem um defeito. Portanto, são chamados de verbos defectivos. Por exemplo, não é possível conjugar o verbo “adequar” em primeira pessoa.

Ex: “O perfil dele se adéqua às normas da empresa”. Na verdade, essa palavra “adéqua” não existe. O mesmo ocorre com o verbo “colorir”. Veja:

“Eu coloro tudo bem rápido”. A palavra “coloro” também não existe. Ok, mas o que fazer? Não use esses verbos de forma errada. Portanto, o ideal é buscar um sinônimo ou a conjugação verbal.

Ex: “O perfil dele é adequado às normas da empresa”, e “Eu pinto tudo bem rápido”.

Leia mais: Principais dicas para aprender a escrever melhor

4 – Cuidado com o verbo “fazer”

Será que passamos um dia sem falar o verbo “fazer”? Talvez ele seja uma das palavras mais comuns do nosso vocabulário. No entanto, muitas pessoas acabam errando quando vão conjugá-lo. Quem nunca ficou em dúvida entre o “faz” ou “fazem”? Ex: “fazem duas semanas que passei no vestibular” ou ”fazem anos desde que o observei pela última vez”.

O modo que o verbo foi colocado não está correto nas duas frases. Desse modo, a reescritura correta de cada uma delas é: “faz duas semanas que passei no vestibular” e “faz anos desde que o observei pela última vez”. Essa confusão de como colocar o verbo na frase ocorre pois quando se utiliza o verbo “fazer” relacionado ao tempo que já passou, ele se torna impessoal.

Ou seja, quando o “fazem” foi colocado em uma frase em que deve adquirir a postura impessoal, ele deverá ser usado no singular.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.